Análise de artigo sobre tratamento de periimplantites utilizando dois tipos de biomateriais

11 de setembro de 2017

Two-year clinical results following treatment of peri-implantitis lesions using a nanocristalline hydroxyapatite or a natural bone mineral in combination with a collagen membrane. J Clin Periodontol 2008; 35: 80–87.

Resultados clínicos de dois anos após tratamento de lesões de peri-implantite usando uma hidroxiapatita nanocristalina ou um mineral do osso natural em combinação com uma membrana de colágeno J Clin Periodontol 2008; 35: 80–87.

Schwarz F, Sculean A, Bieling K, Ferrari D, Rothamel D, Becker J.

Histórico e objetivo

A progressão da periimplantite normalmente induz a formação de defeitos infra ósseos circulares ao redor dos implantes, que não se reparam após a remoção do fator etiológico primário da periimplantite.

Devido a limitação do tratamento não cirúrgico da periimplantite em induzir reparo desses defeitos, a aplicação de técnicas regenerativas associada à utilização de biomateriais tem sido indicadas para essa finalidade. Entretanto fatores como tipo de superfície, tipo de biomaterial e o resultado prévio do controle da progressão da periimplantite são fatores a ser levados em consideração antes de se aplicar técnicas regenerativas em busca da re-ossoeintegração.

Esse estudo teve como objetivo avaliar através de uma série de casos o tratamento regenerativo de defeitos intraósseos periimplantares com osso bovino desproteinizado ou com hidroxiapatita nanocristalina.

Material e métodos

22 pacientes participaram desse estudo. Cada paciente apresentava um implante que foi previamente submetido ao tratamento periimplantar não cirúrgico com curetas plásticas. Os implantes incluídos nesse estudo apresentavam ao menos um sítio com profundidade de bolsa a sondagem ≥6mm com componente intraósseo de pelo menos 3mm, e ausência de sangramento a sondagem. Um retalho foi executado para exposição dos implantes, remoção do tecido de granulação e inserção dos biomateriais. No grupo controle foi utilizado o osso bovino desproteinizado associado à membrana de colágeno (n=11) e no grupo controle foi utilizado uma pasta com hidroxiapatita nanocristalina (n=11). Foram executadas análises clínicas (profundidade de bolsa a sondagem, nível da mucosa marginal, nível clinico de inserção, índice de placa e sangramento a sondagem) nos períodos baseline, 12, 18 e 24 meses após o tratamento e foi executado uma análise radiográfica (avaliação do fechamento do defeito) no pré-operário e imediatamente, 6 e 24 meses após as cirurgias.

Resultados

Todos os defeitos intraósseos tratados nesse estudo apresentavam aspecto circular ou semicircular, com ausência de fenestrações ou deiscências, e associados a um componente horizontal. Dois pacientes do grupo teste foram eliminados do estudo devido a severa formação de pus observada no período de 12 meses, sendo que esses implantes necessitaram ser retratados. Ambos os grupos apresentaram no final do estudo redução da profundidade de bolsa a sondagem (Teste-1.5±0.6mm; Controle-2.4±0.8mm) e ganho no nível clínico de inserção (Teste-0.9±0.2mm; Controle-1.0±0.3mm).

Conclusão

Ambos os biomateriais causaram redução do componente intraósseo dos defeitos periimplantares.