Aumento ósseo tridimensional na região anterior da maxila

Por Robert Carvalho da Silva | 27 de junho de 2019

Paciente já havia realizado um procedimento na região anterior da maxila, mas sem sucesso. Em nossa avaliação, a falha pregressa tem relação com a falta de suporte periodontal dos incisivos laterais, que foram extraídos como parte do procedimento agora realizado.

Após a extração dos referido dentes, o retalho de espessura total foi elevado para exposição completa do defeito ósseo. Veja a discrepância dos picos ósseos medial e distal na posição dos laterais, e a anatomia complexa do defeito.

Um parafuso tipo tenda foi posicionado com a cabeça aproximadamente na altura dos picos ósseos residuais. A decorticalização foi feita, a membrana não reabsorvível de PTF-HD (Cytoplast 30×40 250) foi posicionada e fixada na região palatina, utilizando microparafusos autoperfurantes. O osso particulado (osso autógeno, dentina processada, matriz mineral bovina e LPRF) foi cuidadosamente posicionado e a membrana foi acomodada e fixada na região vestibular.

Houve precaução para que a membrana não tocasse os dentes adjacentes, seguido da proteção da membrana densa com membranas de LPRF. As suturas foram realizadas sem tensão usando monofilament 3.0 e 4.0 de teflon (Cytoplast). A radiografia periapical final mostra a magnitude da reconstrução.

 

 

TOMOGRAFIA COMPUTADORIZADA VOLUMÉTRICA TRIDIMENSIONAL

VISTA PANORÂMICA E CORTES TRANSVERSAIS OBLÍQUOS