Uma Comparação entre Próteses sobre Implantes Aparafusadas e Cimentadas. Uma Revisão de Literatura.

Por Alfredo Mikail e Alessandra Sayuri Tuzita | 04 de dezembro de 2019

A Comparison Between Screw – and Cement-Retained Implant Prostheses. A Literature Review.

Shadid R. & Sadaga N. Journal of Oral Implantology. 2012.
38(3):298-307. doi:10.1563/aaid-joi-d-10-00146

PERGUNTA: “É possível definir qual é o melhor tipo de sistema protético sobre implante (aparafusado ou cimentado)?”

Atualmente, as reabilitações protéticas utilizando implantes em regiões parcialmente ou totalmente são altamente previsíveis. Contudo, várias questões são levantadas em relação aos materiais, bem como ao design dos implantes e dos componentes protéticos para alcançar altas taxas de sucesso clínico. Devido ao grande debate a respeito da escolha entre próteses sobre implantes retidas por parafuso ou cimento, que há tempos vem sendo discutido, o objetivo desta revisão da literatura é fornecer uma visão das vantagens e desvantagens de ambas as restaurações, além de sugerir algumas situações clínicas para cada método de retenção.

Este artigo elucida que algumas situações são preferíveis de um método de retenção sobre o outro, e determinados fatores devem ser analisados previamente à escolha do sistema de retenção das próteses sobre implantes, como: a facilidade de fabricação, custo, estética, acesso, oclusão, retenção, incidência de perda de retenção, capacidade de recuperação, passividade do ajuste, restrição da posição do implante, efeito sobre saúde dos tecidos peri-implantares, fase de provisórios, cargas imediatas, procedimentos de impressão, fratura da porcelana e desempenho clínico.

De modo geral, a tabela abaixo descreve o resumo geral dos conceitos abordados no decorrer do artigo, condensando assim as vantagens e desvantagens de cada sistema protético sobre implantes, a fim de facilitar o entendimento e compreensão do profissional.

 

Resumo das situações que preferem sistema aparafusado ou cimentado

Próteses Aparafusadas Próteses Cimentadas
– É preferível que grandes reconstruções de arcos totais sejam retidas por parafuso.
– Próteses com cantilever, pois facilitaria na manutenção das infraestruturas ou dos implantes.
– Pacientes com alto risco de desenvolver recessão gengival, devido a facilidade e possibilidade de remoção descomplicada e, em seguida, a modificação das restaurações de acordo com a nova situação.
– Em pacientes com expectativa de perda de mais dentes no futuro, devido a possibilidade de reversibilidade.
– Espaço interoclusal mínimo, pode não ser possível obter uma retenção adequada para restaurações retidas por cimento, porque essas restaurações exigem um componente de pelo menos 5 mm de altura para fornecer a forma de retenção e resistência. No entanto, apenas 4 mm de o espaço interoclusal é suficiente para usar sistemas retidos por parafuso. Além disso, próteses aparafusadas podem ser conectadas diretamente a implantes sem um pilar intermediário, terapia no qual necessita-se da redução o espaço
interoclusal.
– Nas situações em que a remoção do excesso de cimento é difícil ou impossível. Uma alternativa à restauração aparafusada com essa situação seria fabricar um pilar
personalizado para retenção de cimento com uma margem restauradora, seguindo o contorno gengival.
– Nos casos em que são previstas complicações técnicas ou biológicas, as próteses aparafusadas são preferidas para permitir a remoção fácil das restaurações, gerenciando os problemas.
– As prótese sobre implante unitárias e de curta extensão, levando em consideração o tamanho do diâmetro de implante, número de implantes e o torque do parafuso do pilar possam ser otimizados. O único motivo para usar a retenção do parafuso nesses casos seria se houvesse uma grande inclinação do posicionamento do implante para palatina na região anterior.
– Casos que envolvem coroas de diâmetro estreito, nos quais o acesso do parafuso pode comprometer a integridade da coroa.
– Situações em que a superfície oclusal será comprometida com relação à estética ou estabilidade oclusal devido à presença de um material restaurador no acesso do parafuso.
– Em situações de próteses sobre implantes muito inclinados.

 

Portanto, não é possível predizer se um tipo sistema de próteses sobre implantes é melhor que outro, porque ambos os tipos de restaurações, aparafusadas e cimentadas, apresentam certas vantagens e desvantagens. No entanto, é essencial avaliar cada situação clínica de maneira individual a fim de optar pelo tipo de restauração mais apropriado.

 

Prof. Dr. Alfredo Mikail Melo Mesquita

  • Prof. Titular da Universidade Paulista – UNIP
  • Coordenador da Especialização de Prótese Dentária – São Leopoldo Mandic – SP
  • Prof. do Programa de Pós Graduação em Odontologia – Universidade Paulista – UNIP – Mestrado e Doutorado

 

Dra. Alessandra Sayuri Tuzita

  • Especialista em Periodontia – Universidade Paulista – UNIP
  • Especialista em Prótese Dentária – Universidade Paulista – UNIP
  • Mestranda em Prótese Dentária – Universidade Paulista – UNIP