Cirurgia Guiada prototipada e cicatrizador customizado impresso

Por Rodrigo Cunha | 03 de novembro de 2021

Caso clínico de paciente de 65 anos, do sexo masculino, com fratura radicular no dente 21 e processos infecciosos. Foi solucionado com extração planejada do elemento, debridação das lesões osteolíticas, instalação de implante imediato guiado, preenchimento do GAP com osso xenógeno Extra Graft e instalação de cicatrizador customizado.

O paciente de 65 anos, sexo masculino, apresentava fratura radicular no dente 21 com processos infecciosos no periápice ocasionando reabsorção óssea ao redor da tábua óssea vestibular.

Após o diagnóstico, através de tomografia computadorizada cone beam, foi planejada a extração do elemento, bem como debridação das lesões osteolíticas, instalação de implante imediato guiado, preenchimento do GAP com osso xenógeno Extra Graft e instalação de cicatrizador customizado.

Posteriormente à realização do exame tomográfico, elaboramos junto ao planning center a melhor posição tridimensional do implante através do software Blue SkyBio para a confecção da guia prototipada. Concomitantemente, foi utilizado o software Dental System para o design (CAD) do cicatrizador customizado produzido em impressora 3D sobre um pilar Base T.

O planejamento proposto foi de instalação de 1 implante Maestro 3.5 x 11mm na região do dente 21 com o kit de Cirurgia Guiada ImplaGuide da Implacil De Bortoli e guia cirúrgica prototipada.

Como a área do dente 21 apresentava uma lesão óssea significativa, optamos por não instalar um provisório imediato para não correr o risco de perder a osseointegração. O paciente foi tratado previamente com antibiótico (Ácido Clavulânico + Amoxacilina 875 mg) por um período de 5 dias a fim de cronificar a lesão.

Após a fresagem simplificada do Kit ImplaGuide, fresa lança e a fresa 2.0, foi instalado 1 implante Maestro de forma guiada através da guia cirúrgica prototipada com uma margem de segurança de 2 mm em relação ao assoalho da fossa nasal. A fim de atenuar perda volumétrica e melhorar a espessura de tecido queratinizado, realizamos remoção de tecido conjuntivo subepitelial do palato do lado esquerdo para realizar enxerto na vestibular da área implantada (área receptora). O GAP foi preenchido com osso xenógeno Extra Graft, posteriormente ao reembasamento do cicatrizador impresso com resina flow sobre o pilar Base T.

A instalação e o torque do conjunto só é realizado após o acabamento e polimento do cicartizador e quando já houver a colocação do biomaterial e a sutura do tecido conjuntivo.

A instalação destes componentes customizados atenuam o tempo de espera no sentido de conduzir a formação e maturação dos tecidos peri-implantares, enquanto vai ocorrendo o processo de osseointegração. Os casos em que utilizamos estes componentes são aqueles que não haverão um travamento adequado para estética imediata, em pacientes com bruxismo ou hábitos que possam levar a perda da osseointegração.

O design deve ser realizado levando em conta que o “custom healing” deve ficar a nível gengival sem que haja volume supra gengival para que o paciente evite passar a língua. Devemos evitar também que o provisório móvel ou esplintado tenha qualquer tipo de toque mais efetivo.

Neste caso, onde o componente foi planejado em ambiente virtual sobre um pilar Base T, podemos utilizar o mesmo pilar do planejamento ou um pilar de titânio para provisório e reembasar com resina composta fluída (resina flow).

O objetivo do cicatrizador é diminuir as etapas e evitar reabertura cirúrgica e ao mesmo tempo já ir personalizando, de acordo com o dente que está sendo trabalhado, o tecido queratinizado para receber a coroa provisória ou já a definitiva.  

Rodrigo Moreira da Cunha

– Mestre em implantodontia – SLMANDIC;
– Especialista em implantodontia – SLMANDIC;
– Especialista em prótese dentária – PUC/RS;
– Minirresidência em implantodontia – NYU/EUA;
– Pós-graduado em metalurgia odontológica Bego – Alemanha;
– Pós-graduado em cerâmicas odontológicas Vita – Alemanha.

VER TODOS ARTIGOS DESTE MEMBRO