Comparação de parâmetros peri-implantares clínicos e radiográficos em pacientes obesos e não obesos: um estudo de 5 anos

Por | 30 de agosto de 2018

Comparison of clinical and radiographic peri-implant parameters among obese and non-obese patients: A 5-year study.
Alkhudhairy F, Vohra F, Al-Kheraif AA, Akram Z.
Clin Implant Dent Relat Res. 2018 Jul 20. doi: 10.1111/cid.12633.

OBJETIVO:
O objetivo do presente estudo longitudinal de 5 anos foi analisar e comparar as mudanças nos parâmetros clínicos e radiográficos peri-implantares entre pacientes obesos e não obesos.

MATERIAIS E MÉTODOS:
Vinte pacientes com índice de massa corporal ≥ 27,5 kg / m2 e 18 controles não obesos foram incluídos. Todos os pacientes foram indicados para substituição de dente molar maxilar ou mandibular unitário com os dentes adjacentes intactos. Os parâmetros clínicos peri-implantares (índice de placa, sangramento à sondagem, profundidade de sondagem) e radiográfico (perda óssea marginal) foram medidos aos 12, 24 e 60 meses de acompanhamento.

RESULTADOS:
Todos os parâmetros peri-implantares mostraram diferença estatisticamente significante entre indivíduos obesos e não obesos. O grupo obeso registrou sangramento a sondagem, profundidade de sondagem e perda óssea marginal significativamente maiores nos diferentes momentos de observação. Profundidade de sondagem e perda óssea marginal aumentaram significativamente com o avanço do tempo em ambos os grupos. Após 60 meses de seguimento, maior índice de placa e sangramento a sondagem foi observado em pacientes obesos (P <0,01). Aos 60 meses de seguimento, os pacientes obesos apresentaram aumento significativo da profundidade de sondagem (3,69 mm) quando comparados aos indivíduos não obesos (2,46 mm). A perda óssea marginal em indivíduos não obesos variou de 0,30 mm após 12 meses a 0,55 mm após 60 meses de seguimento, enquanto em pacientes obesos, a perda óssea marginal passou de 0,36 mm após 12 meses para 0,91 mm aos 60 meses de acompanhamento (P <0,01). CONCLUSÕES:
Pacientes com obesidade apresentam maior risco de inflamação peri-implantar. Recomenda-se que os pacientes obesos sejam orientados sobre o risco de inflamação tecidual peri-implantar e a suscetibilidade à perda óssea. Além disso, deve receber orientações e cuidados rigorosos de higiene bucal visando a manutenção da saúde peri-implantar.