Implante imediato em área estética associado a reconstrução

Por André Vilela | 29 de junho de 2018

A técnica de implantação imediata tem como objetivo instalar o implante logo após a exodontia, com o benefício de ser mantida a arquitetura gengival original em posição, além de estabilizar toda a manobra reconstrutiva por meio da colocação de um provisório implantossuportado.

Para essa técnica, o posicionamento tridimensional do implante dentro do alvéolo dentário é fundamental para que os tecidos de suporte se comportem de uma maneira biologicamente mais próxima do dente natural.

Partindo da informação de que a literatura mostra que a tábua óssea vestibular em 85% dos casos acaba reabsorvendo espontaneamente, o posicionamento tridimensional ideal é quando o implante é colocado apoiado na tábua óssea palatina e ancorado no osso basal remanescente.

A escolha de um diâmetro reduzido para essa manobra tem como objetivo aumentar o espaço entre o implante e o osso vestibular, espaço esse que deve ser preenchido com um biomaterial de lenta reabsorção para diminuir a chance de uma reabsorção tridimensional do alvéolo.

A alteração do biótipo tecidual com um enxerto de tecido conjuntivo se faz necessária para aumentar significativamente a espessura do tecido vestibular, diminuindo as chances de uma recessão da margem em longo prazo, e, por fim, a instalação de um provisório implantossuportado com as mesmas características anatômicas do dente original em relação ao perfil de emergência, ponto de contato interproximal, é útil para estabilizar toda a manobra reconstrutiva e manter a arquitetura gengival em posição.

André Vilela

Mestre em Periodontia; Especialista em Periodontia e Implantodontia; Prof. dos cursos de especialização em Periodontia e Implantodontia da APCD Central e FAOA; Presidente do Grupo Implant Prime; Membro da Sociedade Brasileira de Periodontia, da Sociedade Brasileira de Odontologia Estética (Sobrape), e da Academia Europeia de Osseointegração (EAO).

VER TODOS ARTIGOS DESTE MEMBRO