Lateralização do Nervo Alveolar com Implantes Implacil

Por Sérgio Jorge Jayme | 24 de junho de 2021

Lateralization of the Alveolar Nerve with Implacil Implants

A mandíbula posterior atrófica torna-se um grande problema a todo reabilitador oral principalmente quando os dentes anteriores estão saudáveis. Regiões posteriores dos maxilares usualmente trazem dificuldades para a reabilitação com implantes dentários, seja pelo pior acesso e visualização, seja pela anatomia da área que dificulta os procedimentos, seja pelo osso de pior qualidade que diminui os índices de sucesso.
Se referindo à região posterior da mandíbula, é comum que a reabsorção óssea decorrente da extração dos dentes, adicionada ao uso de próteses removíveis, leve a níveis de perda óssea que inviabilizam a colocação de implantes de comprimentos convencionais. Nestes casos, diversas técnicas surgiram para compensar essa situação desfavorável, viabilizando o tratamento. Como as mais usadas, podemos citar o uso de enxertos ósseos, a distração osteogênica, implantes curtos e a mobilização do nervo alveolar inferior.

A mobilização do nervo alveolar inferior consiste no reposicionamento cirúrgico do mesmo para aproveitamento da região inferior da mandíbula como osso basal dos implantes, sendo um procedimento complexo e que usualmente causa perdas sensoriais temporárias na região, mas em contrapartida possibilita a instalação de implantes de maior comprimento, melhorando assim a relação implante-coroa e possibilita ancoragem bicortical.

Esse tratamento apresenta altas taxas de sobrevivência e sucesso dos implantes, semelhantes a implantes colocados de forma convencional, além da menor morbidade em relação a alternativas como enxerto ósseo e distração osteogênica. Embora todas as técnicas citadas possuam vantagens interessantes e indicações específicas, a técnica de mobilização se destaca por incorporar recentemente dois avanços tecnológicos que minimizam suas desvantagens, sendo a primeira a cirurgia piezoelétrica, para facilitar o procedimento e minimizar o dano ao nervo, e a segunda, o laser de baixa potência para tratamento da alteração sensorial causada pelo procedimento. Desta forma a técnica se tornou mais acessível e interessante para reabilitação de mandíbulas posteriores com perda óssea moderada a severa.

Apesar destes avanços, o procedimento ainda possui algumas dificuldades, sendo a correta indicação e execução da técnica cirúrgica, aliado ao conhecimento da anatomia da região, essencial para a garantia do sucesso.

A lateralização do nervo alveolar torna-se uma alternativa viável e previsível para a instalação de implantes.

Cirurgia executada no Curso de Cirurgia Avançada do IAP-Sérgio Jayme

Bibliografia:

Livro ABROSS 2012 Implantodontia Clínica Baseada em Evidência Científica
Lateralização do Nervo Alveolar Inferior – Novas Perspectivas
Sérgio Jayme, Marco A. A. Vasco, Jamil Awad Shibli

Sérgio Jorge Jayme

– Especialista e Mestre em Implantodontia;
– Pós graduado em Periodontia;
– Doutor em Reabilitação Oral.

VER TODOS ARTIGOS DESTE MEMBRO

Sérgio Jorge Jayme