Levantamento de seio maxilar pela técnica da janela lateral

Por Ulisses Dayube | 28 de julho de 2022

A técnica de elevação do seio através da preparação de uma janela na parede lateral foi publicada pela primeira vez em 1980.1 Esta abordagem fornece acesso à parede lateral do seio através da elevação de um retalho mucoperiosteal de espessura total da crista alveolar com incisões relaxantes verticais para liberação do retalho.

Brocas cirúrgicas diamantadas em baixa rotação são tradicionalmente usadas para a preparação de uma janela na parede lateral do seio para acessar a membrana de Schneider. Uma vez que o acesso é alcançado, a membrana é cuidadosamente dissecada do osso circundante de maneira tridimensional usando curetas específicas. E um enxerto ósseo é colocado no espaço criado.

Nesta técnica utilizou-se o biomaterial que tem a associação da hidroxiapatita com o colágeno tipo I, ambos de origem bovina, que é um material biocompatível e osseocondutor (Extra Graft). Como foi demonstrado no artigo de Abla et al, de 20092, após quatro meses, quando a área de levantamento de seio utilizando o Extra Graft foi reaberta para colocação dos implantes, observou-se que o enxerto realizado viabilizou a formação óssea e promoveu um leito consistente e resistente para a colocação de implantes dentários.

Os implantes deste caso também foram realizados após quatro meses da cirurgia para levantamento de seio maxilar, e uma prótese total metaloplástica foi realizada após quatro meses da instalação dos implantes. Uma revisão de 85 estudos relatou que os implantes colocados em osso enxertado nesta área são altamente bem-sucedidos, com taxas de sobrevivência variando de 88,6% a 100% (média de 97,7%, mediana de 98,8%).3 Resultados conflitantes em termos de taxa de sobrevivência do implante foram relatados em relação ao uso de uma membrana sobre a janela lateral do seio. No entanto, um artigo de revisão relatou que as taxas de sobrevivência do implante foram maiores quando uma membrana foi colocada sobre a janela lateral.4

Embora uma variedade de técnicas esteja disponível para aumentar o rebordo alveolar nesta região, a técnica de aumento tradicional através de uma janela lateral é altamente previsível e recomendada.5

A seleção adequada do paciente, o planejamento do tratamento com o uso da tomografia e o conhecimento aprofundado da anatomia dessa região são imprescindíveis para o sucesso da técnica.

REFERÊNCIAS

1. Boyne PJ, James RA. Grafting of the maxillary sinus floor with autogenous marrow and bone. J Oral Surg. 1980;38(8):613-6.

2. Abla, M., Wuo, A. V., Bastos, F. Utilização de biomaterial e osso autógeno em levantamento de seio maxilar: relato de caso clínico com avaliação histológica. Implant News. 2009; 6 (5): 561-6.

3. Jensen SS. Proceedings of the 4th ITI consensus conference and literature review: sinus floor elevation procedures. In: Chen S, Buser D, Wismeijer D, editors. ITI Treatment Guide Volume 5: Sinus Floor Elevation Procedures. Chicago: Quintessence Publishing Co. Ltd.; 2011. p. 3-9.

4. Wallace SS, Froum SJ. Effect of maxillary sinus augmentation on the survival of endosseous dental implants. A systematic review. Ann Periodontol. 2003 Dec;8(1):328-43.

5. Kutsuyama H, Jensen SS. Treatment options for sinus floor elevation. In: Chen S, Buser D, Wismeijer D, editors. ITI Treatment Guide Volume 5: Sinus Floor Elevation Procedures. Chicago: Quintessence Publishing Co. Ltd.; 2011. p. 33-57.



Ulisses Ribeiro Campos Dayube

– Doutorando em Implantodontia · UnG (Guarulhos);– Mestre em Implantodontia · SLM (Campinas);– Especialista em Implantodontia · ABO (Barra Mansa RJ);– Especialista em Prótese Dentária · UNIGRANRIO (RJ);– Coordenador da Especialização em Implantodontia da São Leopoldo Mandic RJ;– Coordenador do curso de especialização em Implantodontia do CenCro RJ;– Consultor Científico da JOMI/Brasil;– Membro do Conselho Editorial da revista ImplantNewsPerio;– Membro da Sociedade Brasileira de Odontologia Estética;– Membro Titular da Academia Brasileira de Odontologia.

VER TODOS ARTIGOS DESTE MEMBRO