Perspectivas dos pacientes sobre a cirurgia de implante e enxerto ósseo dental

Por Márcio Casati | 11 de setembro de 2017

Perspectivas dos pacientes sobre a cirurgia de implante e enxerto ósseo dental: inquérito por entrevista com base em questionário

Hof M1, Tepper GSemo BArnhart CWatzek GPommer B.

Objetivo

Avaliar as expectativas atuais e as preferências dos pacientes que procuram os implantes dentários.

Material e Métodos

Cento e cinqüenta pacientes consecutivos (66 homens e 84 mulheres) foram convidados a classificar as suas preocupações a respeito da terapia com implantes e responder a um questionário sobre implantes e cirurgia de enxerto ósseo, considerações de custo e tempo e busca de segunda opinião.

Resultados

A previsibilidade de tratamento e prevenção de próteses removíveis foram classificadas com alta prioridade (em comparação com tempo e custo/benefício ou evitar enxertos ósseos). Expectativa de taxa de sucesso com implantes de 10 anos era de 84% dos pacientes e 59% dos pacientes esperavam que os implantes durassem por toda a vida.

O tempo total de tratamento foi calculado para ser de 4 meses, em média, e apenas 12 % dos pacientes toleraram um risco aumentado de falha do implante por causa da redução do tempo de tratamento. 61% dos entrevistados aceitaram enxertos ósseos autólogos (a maioria favorecendo a área retromolar), enquanto apenas 23% estavam dispostos a submeter-se a colheita do osso do quadril.

43% optaram por material substituto ósseo para evitar a morbidade do sítio doador. 67% aceitariam os custos adicionais associados com a tomografia computadorizada e planejamento do tratamento baseado em software e colocação de implantes guiados para evitar a cirurgia de enxerto ósseo. Motivação para busca de uma segunda opinião foi alta (46-62%), especialmente em pacientes jovens e do sexo masculino.

Conclusão

As expectativas do paciente em relação ao sucesso e previsibilidade dos implantes são elevados em comparação com a sua relutância para os custos e a duração do tratamento. A aceitação de morbidade do tratamento é elevada entre pacientes que relatam baixa satisfação com a prótese, no entanto, alternativas de tratamento minimamente invasivas são geralmente preferidos.

Márcio Casati

Professor titular da Disciplina de Periodontia – Universidade Paulista (Unip); Professor associado da área de Periodontia – Faculdade de Odontologia de Piracicaba (FOP – Unicamp).

VER TODOS ARTIGOS DESTE MEMBRO

Márcio Casati