Preservação Alveolar com o uso de L-PRF block ozonizado com Hidroxiapatita bovina e barreira de PTFE denso.

Por Grupo Fit | 07 de maio de 2021

Autores:

– Márcio de Carvalho Formiga – Doutor em Periodontia; Mestre em Prótese Dentária; Especialista em Periodontia e Implantodontia; Professor da Especialização em Implantodontia da Unisul/Florianópolis;

– Bruno Freitas Mello – Doutor, Mestre e Especialista em Implantodontia; Professor Coordenador da Especialização em Implantodontia da Unisul/Florianópolis;

– Gustavo dos Santos Coura – Doutor, Mestre e Especialista em Implantodontia; Professor Coordenador da Especialização em Implantodontia da Unisul/Florianópolis;

– Renato Fuller – Mestre em Prótese Dentária; Especialista em Implantodontia; Professor da Especialização em Implantodontia da Unisul/Florianópolis;

– Ivan Borges Junior – Doutor em Periodontia; Mestre em Nutrição; Especialista em Periodontia; Professor Coordenador da Especialização em Implantodontia da Unisul/Florianópolis.

A preservação de alvéolos após a extração dentária é um desafio constante para os cirurgiões, dada a importância de manter altura e espessura óssea suficientes para auxiliar na reabilitação oral, com ou sem implantes. A remodelação óssea natural que ocorre após uma extração, leva a defeitos estéticos e funcionais, e esses defeitos podem ser tão graves que a colocação de implantes pode ser difícil, ou mesmo impossível, sem a utilização de algum tipo de enxertia [1,2]. A preservação alveolar executada por qualquer tipo de procedimento realizado no momento da extração, com o objetivo de minimizar esta reabsorção da crista óssea e tábua vestibular e maximizar a formação óssea alvéolos, é muito importante. Os princípios da osteocondutividade fornecem o espaço e estrutura para substrato celular e eventos bioquímicos para permitir que a formação óssea ocorra [3].

Selar os alvéolos pós-extração barreiras de PTFE denso protege o material de enxerto na cavidade e preserva tecidos moles de alta qualidade na região, propiciando um ambiente favorável a ter uma menor diminuição de volume original do alvéolo. E se o alvéolo for preenchido por substitutos ósseos de origem bovina ao mesmo tempo, resultados excelentes podem ser obtidos [4,5]. Este tipo de biomaterial já provou ser um dos mais utilizados em manobras de preservação alveolar pelos seus resultados [6,7,8].

As membranas de L-PRF são compostas de uma malha de fibrina densa, altamente reticulada, na qual plaquetas e leucócitos são incorporados. Esta estrutura biológica libera fatores de crescimento (particularmente, PDGF-AB, TGF-β e VEGF), moléculas de adesão (fibronectina, vitronectina, e trombospondina-1), e pró e citocinas anti-inflamatórias, por até 7 dias [9], que podem modular o processo inflamatório reparador e aumentar a regeneração pela angiogênese e neovascularização, além de reduzir a dor pós-operatória e o edema [10]. Essas características fazem do L-PRF adequado como material de enxerto pós-extração, e que pode ser utilizado em conjunto com substitutos ósseos formando o chamado L-PRF block, o que facilita o manuseio e inserção do material no alvéolo, além de todas as vantagens citadas anteriormente [11].

Neste caso clínico vamos mostrar uma manobra de preservação alveolar com o uso de substituto ósseo composto por hidróxiapatita bovina e colágeno tipo I incorporado em L-PRF ozonizado, além do selamento do alvéolo por meio de uma membrana de PTFE denso.

Figura 1 – Vista vestibular do 13, antes do procedimento.
Figura 2 – Cortes axial e coronal do elemento 13 mostrando a lesão periapical e perda de estrutura dentária na mesial.
Figura 3 – Vista oclusal do alvéolo após a exodontia.
Figura 4 – Raiz do 13, com a lesão periapical aderida.
Figura 5 – Vista oclusal do alvéolo do 13 com a Cytoplast já acomodada à parede palatina- note que a superfície lisa da membrana fica voltada para o defeito.
Figura 6 – Extra Graft incorporado pelo L-PRF e ozônio aglutinando.
Figura 7- L-PRF block ozonizado.
Figura 8 – L-PRF block pronto para ser inserido do defeito ósseo.
Figura 9 – Enxerto sendo inserido no alvéolo.
Figura 10 – Alvéolo do 13 preenchido pelo enxerto.
Figura 11 – Selamento do alvéolo pela acomodação da membrana na parede vestibular- note que a superfície Regentex fica voltada para a mucosa.
Figura 12 – Suturas cruzadas sobre a membrana apenas para estabilizar a mesma em posição.
Figura 13 – Prótese parcial removível provisória sem pressionar a membrana e enxerto logo após o final da cirurgia.
Figura14 – Rx periapical imediatamente após o procedimento evidenciando o preenchimento do alvéolo pelo biomaterial.
Figura 15 – Aspecto da membrana 28 dias após a instalação.
Figura 16 – Aspecto da região do 13 logo após a remoção da membrana.

Referências Bibliográficas:

  1. Ashman, A. Ridge preservation: The future practice of dentistry. Dent. Econ. 1995, 85, 80.
  2. Bartee, B.K. Extraction site reconstruction for alveolar ridge preservation. Part 1: Rationale and materials selection. J. Oral Implant. 2001, 27, 187–193.
  3. Mcallister, B.S.; Haghighat, K. Bone augmentation techniques. J. Periodontol. 2007, 78, 377–396.
  4. de Carvalho Formiga M, Dayube URC, Chiapetti CK, de Rossi Figueiredo D, Shibli JA. Socket Preservation Using a (Dense) PTFE Barrier with or without Xenograft Material: A Randomized Clinical Trial. Materials (Basel). 2019 Sep 8;12(18):2902.
  5. Lee J, Yun J, Kim JJ, Koo KT, Seol YJ, Lee YM. Retrospective study of alveolar ridge preservation compared with no alveolar ridge preservation in periodontally compromised extraction sockets. Int J Implant Dent. 2021 Mar 26;7(1):23.
  6. Barone A, Aldini N, Fini M, Giardino R, Calvo J and Covani U. Xenograft versus extraction alone for ridge preservation after tooth removal: a clinical and histomorphometric study. Journal of Periodontology 2008; 79:1370-1377.
  7. Cardaropoli D, Tamagnone L, Roffredo A, Gaveglio L and Cardaropoli G. Socket preservation using bovine bone mineral and collagen membrane: a randomized controlled clinical trial with histologic analysis. The International Journal of Periodontics and Restorative Den­tistry 2012; 32:421-430.
  8. Maeda D, Dos Reis LD, Fermiano D, Giro G, Mauricio JM, Marinho KO, Faveri M. Alveolar Ridge Preservation Using a Bovine derived Bone Graft in Association with Titanium Foil – A Prospective Case Series. J Int Acad Periodontol. 2021 Jan 1;23(1):57-64.
  9. D. M. Dohan, J. Choukroun, A. Diss et al., “Platelet-rich fibrin (PRF): A second-generation platelet concentrate. Part III: Leucocyte activation: A new feature for platelet concentrates?,” Oral Surgery Oral Medicine Oral Pathology Oral Radiology and Endodontology, vol. 101, no. 3, pp. e51–e55, 2006.
  10. J. Choukroun, A. Diss, A. Simonpieri et al., “Platelet-rich fibrin (PRF): a second-generation platelet concentrate. Part IV: clinical effects on tissue healing,” Oral Surgery Oral Medicine Oral Pathology Oral Radiology and Endodontology, vol. 101, no. 3, pp. e56–e60, 2006.
  11. Mauceri R, Murgia D, Cicero O, Paternò L, Fiorillo L, De Caro V, Campisi G. Leucocyte- and Platelet-Rich Fibrin Block: Its Use for the Treatment of a Large Cyst with Implant-Based Rehabilitation. Medicina (Kaunas). 2021 Feb 20;57(2):180.