Aplicação intermitente do PTH (1-34) sobre o tecido ósseo ao redor de implantes

Por Márcio Casati | 11 de setembro de 2017

Autor(es): Liana Linhares Lima

Marcio Zaffalon Casati [Orientador]

O objetivo do presente estudo foi avaliar histometricamente a influência do PTH (1-34) sobre o reparo ósseo e osseointegração de implantes de titânio instalados em tíbias de ratas expostas ou não à inalação da fumaça de cigarro.

Foram utilizadas 61 ratas Wistar adultas aleatoriamente divididas em: grupo 1 (n=15) : animais que receberam a aplicação do veículo necessário para a dissolução do hormônio após a instalação do implante; grupo 2 (n=16) : inalação de fumaça de cigarro (IFC) por 60 dias no pré e pós-operatório da colocação do implante; grupo 3 (n = 17): tratamento do grupo 2 associado à injeções subcutâneas de 40 fxg/kg de PTH sintético (1-34) três vezes por semana, após a colocação do implante e grupo 4 (n=13) : injeções subcutâneas de 40 Hg/kg de PTH sintético (1-34) três vezes por semana após a instalação dos implantes.

Os animais foram sacrificados sessenta dias após a colocação dos implantes, secções não descalcificadas foram obtidas e avaliadas histometricamente, segundo os seguintes parâmetros: porcentagem de tecido ósseo em contato direto com a superfície do implante (CD), porcentagem de preenchimento ósseo das roscas do implante (AO) e porcentagem de tecido mineralizado numa zona de 500 um, adjacente à superfície do implante (PTM). Os parâmetros foram obtidos separadamente para região cortical e região medular.

Não foram detectadas diferenças entre os grupos que receberam aplicação de PTH (1-34) (Grupos 3 e 4) em todos os parâmetros avaliados (p>0,05). Além disso, o PTH promoveu um aumento significativo no CD, AO e PTM em ambas as regiões, mesmo na presença de IFC (p<0.05) (exceto para AO na região cortical). Uma influência negativa da IFC foi observada para o parâmetro CD na região cortical, uma vez que o grupo 2 apresentou os menores valores de CD, seguidos do grupo 1. Resultados semelhantes foram observados para PTM em ambas as regiões analisadas. Dentro dos limites deste estudo pode-se concluir que a aplicação intermitente de PTH (1-34) é capaz de minimizar os impactos negativos da inalação da fumaça de cigarro na osseointegração de implantes de titânio inseridos em tíbias de ratas.

Márcio Casati

– Professor titular da Disciplina de Periodontia – Universidade Paulista (Unip);
– Professor Titular da área de Periodontia – Faculdade de Odontologia de Piracicaba (FOP – Unicamp).

VER TODOS ARTIGOS DESTE MEMBRO

Márcio Casati